Numa altura em que muito se fala sobre o imunizante, conhecido também por “vacina da Oxford”, desenvolvida por uma equipe da Universidade da Oxford e pela empresa farmacêutica britânico-sueca AstraZeneca, o Ministro da Saúde, Armindo Tiago garantiu esta segunda feira (29), que a vacina é segura e, será administrada no país.O governante, reagia a algumas questões colocadas por jornalistas presentes no acto do arranque do processo de administração da II dose da vacina VeroCell (SARS-CoV-2 Vaccine) Inactivada, destinada aos profissionais de saúde, e outros do primeiro grupo prioritário definido no Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19.“Os efeitos reportados por este imunizante, estão dentro do normal do conjunto reportado por qualquer medicamento e o objectivo fundamental da vacina é reduzir a ocorrência grave da doença, coisa que esta vacina cumpre em cem por cento”. Explicou o ministro.Tal como aconteceu no acto do lançamento da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19, Armindo Tiago por sinal, o primeiro moçambicana a tomar a vacina em solo pátrio, dirigiu-se ao Hospital Central de Maputo (HCM) onde mais uma vez, deu exemplo, deixando-se vacinar com a VeroCell (SARS-CoV-2 Vaccine).Segundo estudos, esta vacina, que neste momento está a ser inoculada aos profissionais de saúde e outros grupos de risco, tem, uma eficácia de 79.3% contra doença sintomática e 100% contra doença moderada a grave.Ainda na sua abordagem com os órgãos de comunicação social, o titular da pasta da saúde, anunciou a chegada, até final de Maio, de mais 1.7 milhão de doses de vacinas, doadas no âmbito da iniciativa COVAX, quantidade essa, que vem reforçar as 384 mil anteriormente oferecidas e que, se juntam as 200 mil (VeroCell) da China e 100 mil (Covishild) doados pela India.A administração da segunda dose da vacina contra o novo coronavírus, arrancou ontem, (29) à escala nacional, numa altura em que, o país regista cumulativamente, 769 vítimas mortais e 67.292 infectados, esperando-se que sejam abrangidas pelo processo, dezassete milhões de pessoas, até 2022.

Leave a Comment