Um tumor com características incomuns, pesando 1Kg e 550 gramas, com 18Cm de comprimento, 22.5Cm de largura e dois anos de evolução, foi removido com sucesso, do pescoço de um paciente, no passado dia (08/03), no Hospital Central de Maputo (HCM).
O procedimento cirúrgico, foi conduzido por uma vasta equipe multidisciplinar de profissionais de saúde, composto por Cirurgiões da cabeça e pescoço, Anestesistas, Enfermeiros, Otorrinolaringologista, tendo durado cerca de duas horas e meia.
Segundo informação clínica do paciente, trata-se de um indivíduo do sexo masculino, nacionalidade moçambicana, 33 anos de idade, residente na província de Maputo. Os primeiros sintomas surgiram com uma simples comichão na zona anterior do pescoço, acompanhado por inchaço e dor intensa, que evoluíram, criando total desconforto ao paciente.
O inchaço foi aumentando progressivamente e de forma agressiva, chegando a afectar a estética aparência e autoestima, facto que custou ao paciente, a perda do emprego e discriminação, por parte de algumas pessoas próximas.
Desesperado perante tal quadro desolador, optou por procurar ajuda na unidade sanitária mais próxima.
Dada a complexidade do tumor, o paciente foi transferido para o Hospital Central de Maputo onde uma equipa de profissionais de saúde o recebeu e colocou em práctica, todos os conhecimentos que a ciência médica lhes proporciona.
Pedro Machava, Médico Otorrinolaringologista é quem comandou a equipa de trabalho e, explica que, depois de vários estudos, conclui-se tratar-se de uma “Neurofibromatose”, doença genética caracterizada por uma anomalia neuro ectodérmica e por manifestações clínicas de envolvimento sistêmico e progressivo, que acometem principalmente a pele, o sistema nervoso, ossos, olhos e, outros órgãos, podendo apresentar grande diversidade de manifestações.
Para o sucesso da operação, Machava sublinha que, foi necessário aliviar o peso que comprimia e obstruía as estruturas áreas superiores, laringe e a traqueia, o que permitiu proporcionar uma qualidade de vida melhor, ao paciente.
No entanto e por tratar-se de doença genética, o mesmo continuará em seguimento, podendo receber alta a qualquer momento, caso a evolução clínica continue satisfatória.
A neurofibromatose é causada por alterações genéticas em alguns genes, especialmente no cromossoma 17 e 22, sendo que, os sintomas variam de acordo com o tipo de alteração envolvida.

Leave a Comment