OZONOTERAPIA: UMA REALIDADE NO HOSPITAL CENTRAL DE MAPUTO

OZONOTERAPIA: UMA REALIDADE NO HOSPITAL CENTRAL DE MAPUTO

A Unidade da Dor do HCM, é de referência Nacional e um das melhores Unidades em termos de infraestruturas, equipamento e profissionais especializados na abordagem da dor entre os países africanos de expressão Portuguesa.

De entre várias técnicas realizadas para o controle da dor aguda e crónica como infiltração pontos gatilho, infiltração epidural, PCA (analgesia controlada pelo doente), bloqueios ecoguiados e acupuntura, está atualmente com mais uma valência para abordagem da dor– azonoterapia.

Ozonoterapia

É um procedimento médico que usa mistura de ozono médico (5% ozono +95% oxigénio) como agente terapêutico em diferentes patologias.

Sua prática é recomendada exclusivamente por profissionais devidamente capacitados – ozonoterapeutas e atualmente realizado em mais de 50 países.

É uma terapia totalmente “natural” com poucas contra-indicações e efeitos secundários mínimos desde que se realiza corretamente.

Excetuando a via inalatória e/ou pulmonar o ozono pode ser administrado por todas as vias e orifícios que comunicam o organismo humano com o exterior.

Com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, uma equipe de Unidade da Dor do HCM constituída por 4 elementos beneficiou-se de uma formação em ozonoterapia no Hospital Garcia da Orta – Portugal.

Com aquisição do aparelho deu-se o início do tratamento com ozonoterapia na Unidade da Dor do HCM com resultados positivos e satisfação dos nossos pacientes.

Um pouco da sua história …

O ozono foi descoberto em 1785 pelo físico HolandesMartinus Van Marum (1750-1837). Mas só no século XX foram descobertas suas propriedades na medicina para o tratamento de algumas patologias e introduzida a primeira prática de auto-hemoterapia major e minor por Hans Wolf.

Os objetivos da ozonoterapia no tratamento da dor são:  ativar a circulação sanguínea na área tratada;atenuar patologias de origem inflamatória, dolorosa e infeciosa e funciona comoanti-inflamatório eantioxidante local.

Seu tratamento varia com o estado clínico do paciente, natureza e gravidade da doença.

Fase inicial: 6-10 sessões semanais;

Posteriormente poderá manter sessões de tratamento em regime mais alargado de acordo com a indicação médica (quinzenal, mensal trimestral ou semestral).

Em cada sessão é avaliada a eficácia do tratamento pelo médico.

O alívio da dor é um processo individual, algumas pessoas sentem alívio da dor logo após os primeiros dias de tratamento, e outras pessoas só depois de várias sessões.

Manter a medicação prescrita pelo médico é essencial para otimizar os resultados.

Neste momento já foram tratados mais de 15 pacientes, desde a sua implementação há 10 dias ( 01 de Dezembro de 2017) em doenças da coluna vertebral (hérnia discal, espondilolistese), osteoartroses localizadas, tendinopatias, Fibromialgias doenças isquémicas avançadas e doenças auto-imunes.

 

Por:

Emília Pinto Miquidade ( Diretora da Unidade da Dor do HCM)Margarida Muianga ( Enfermeira chefe da Unidade da Dor)