Diversas actividades, marcaram hoje, (12/05), no Hospital Central de Maputo (HCM), o Dia Internacional do Enfermeiro, que pelo segundo ano consecutivo, celebra-se a meio a pandemia do novo coronavírus.Dança, música, poesia, palestras, teatro, doação de sangue de entre outras, caracterizaram a efeméride, que serviu para uma reflexão profunda em torno dos desafios que se impõem à classe, nomeadamente, o saber cuidar com ou sem condições adequadas, a sobrecarga de trabalho por défice de recursos humanos, a valorização da profissão, entres outros.Farida Urci, Directora Clínica do HCM, disse na sua breve intervenção que, os Enfermeiros sempre ocuparam um lugar de destaque no sistema nacional de saúde, pese embora reconheça persistirem ainda, enormes desafios que enfermam a classe.A dirigente, que falava à margem da data, sublinhou que, a pandemia do novo coronavírus, veio mais uma vez, colocar à prova e cimentar as dúvidas do importante papel que o enfermeiro desempenha nos cuidados de saúde à população.A Chefe máxima da área clínica no HCM, diz acreditar num futuro promissor para os que, dia após dia, se esforçam e trabalham arduamente para proporcionar cuidados de enfermagem de qualidade.Para isso, defende ser fundamental uma união franca e forte dos enfermeiros enquanto classe, para que continuem a ser respeitados.Num outro desenvolvimento, a dirigente fez saber que, devido a elevada demanda a que a instituição, viu-se confrontada por conta do aumento de casos da Covid-19, foram contratados mais enfermeiros e profissionais de outras categorias para aliviar a pressão, estando o pagamento dos salários normalizado após a regularização dos processos que ditaram alguns atrasos.Aliás, Farida Urci, tranquilizou aos presentes, garantindo estarem a ser pagos os salários e suplementos previstos, a todos os funcionários e agentes, do Estado afectos a esta unidade hospitalar.O Dia Internacional do Enfermeiro celebra-se a 12 de Maio, uma data criada pelo Conselho Internacional dos Enfermeiros em homenagem a Florence Nightingale, considerada a fundadora da enfermagem moderna.À esta festa, bastante concorrida por profissionais de saúde com maior destaque para enfermeiros, juntou-se o conceituado cantor e produtor moçambicano Salvador Pedro Maiaze, conhecido no mundo artístico por Mr. Bow, que se deslocou ao HCM onde perante estes profissionais, deixou ficar uma mensagem de carinho.Todos os anos é eleito um lema para esta celebração, sendo este ano, “Enfermeiros, uma voz para liderar o futuro dos cuidados de saúde”. (HCM-DCI)

Leave a Comment